Home > Notícia

Notícia

Foto da notícia

Nota oficial a respeito da decisão sobre a suspensão do reajuste da tarifa de ônibus em 2017

Rio de Janeiro, 30 de Dezembro de 2016.

Assim como o Rio Ônibus, o BRT Rio manifesta sua preocupação com o fato de que a primeira decisão da futura administração da área de Transportes não tenha respeitado o contrato de concessão assinado em 2010. É o contrato que garante a segurança jurídica necessária à continuidade dos investimentos feitos pelos consórcios. O reajuste anual da tarifa representa a recomposição de custos e obrigações assumidas ao longo do ano, como combustível, mão de obra, entre outras.


- A decisão da futura administração da área de Transportes sinaliza um desconhecimento em relação à crise econômica que vem impactando o setor de ônibus do município do Rio. De acordo com dados da própria Secretaria Municipal de Transportes, nos primeiros nove meses do ano houve uma perda de 48 milhões de passageiros, que vem acentuando o desequilíbrio econômico-financeiro das empresas, agravado também pelo crescimento do desemprego. Desde abril de 2015, seis empresas encerraram as suas atividades e outras 12 enfrentam atualmente dificuldades semelhantes.


 


- A suspensão do reajuste da tarifa de ônibus coloca o Rio na contramão de decisões tomadas por administrações de outros municípios em todo o país, que respeitaram contratos vigentes e concederam a reposição do valor das passagens. É importante lembrar que outros modais de transporte tiveram seus reajustes recentemente anunciados, como trens e barcas, de forma a assegurar o equilíbrio econômico-financeiro de seus contratos.


 


- Mesmo não concordando com a decisão, o Rio Ônibus se coloca à disposição para esclarecer dúvidas e fornecer as informações financeiras e operacionais dos consórcios. Vale ressaltar que todos os dados enviados ao poder público passam por auditoria externa.


 


- Ao mesmo tempo em que está aberto ao diálogo, o Rio Ônibus não deixará de adotar as medidas cabíveis de modo a garantir o cumprimento do contrato de concessão e a continuidade dos serviços de ônibus no município do Rio.

COMPARTILHE: Google+